Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]


 

 

Hoje foi dia de consulta do D. Dinis, dia de vacinas também. Calhou-nos na rifa uma enfermeira(?) a fazer assistência a outra. Ora o rapaz que benzó Deus só chora por dois motivos, ou porque tem sono, ou porque tem sono, ao avistar semelhante criatura abriu aquelas goelas como se não houvesse amanhã. E eu juro que estava solidária com o piqueno, que também eu e o pai estávamos com medo.

 

A criatura tinha umas unhas a rondar os 3 metros de comprimento e a revesti-las um verniz entre o verde e o azul ou o verde azulado ou o azul esverdeado, nem sei porque na altura entre lágrimas e ranho, no fundo o que me pareceu foi uma cena muito psicadélica.

Anéis, muitos, a compor aquilo que já de si era assustador. Uma cabeleira farta de um loiro manhoso e uma pele a cheirar a solário por todos os lados. E eu ali, com o miúdo ao colo sem saber o que fazer. Ao fim de uns minutos quando finalmente consegui deitá-lo sem que chorasse diz ela : "Mãe, não fique fora do alcance de visão dele ok?".....e eu a pensar "Mas esta gaja pensa que eu sou da Lourinhã ou quê?....Bruxa guedelhuda!"

 

Dinis pesado, Dinis medido e vacinado (muito medo nesta parte)e saímos dali com a certeza de não a querer encontrar nas próximas vacinas do mês que vem. Pelo sim, pelo não, vou levar uma rebarbadora na mala.

Autoria e outros dados (tags, etc)



Mais sobre mim

foto do autor