Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]


Quando iniciei a minha actividade há quase 4 anos, a decorar uns bolos, no início apenas por brincadeira e curiosidade, apesar de já existirem algumas pessoas a fazerem o mesmo, não se comparava ao que se vive nos dias de hoje.

Com o aumento do desemprego, com a crise, etc, começaram a "nascer" cake designers como cogumelos no inverno. Até aqui tudo bem, todos precisam de fazer face às despesas. O grande problema que tenho vindo a assistir é o facto de isto ser uma área sem um mínimo de coerência.

Ou seja, uns cobram muito, outros cobram pouco e o público em geral, com todo o direito, pergunta-se "mas qual a razão para tanta diferença de valores?"

 

Para que entendam melhor eu poderei dar vários exemplos que poderão dar origem ao "problema"

 

- A Ana* trabalha mas precisa de mais uns trocos para comprar uns casacos na Zara. Vai a 2 workshops de bolos decorados, começa a fazer para amigos nos tempos livres e fica toda contente porque ganhou 15€ extra. Se fizer 3 bolos num fim de semana ganha 45€. UAU, já dá para o casaco.

Só que no fim de semana seguinte tem mais 3 para fazer. Tem de ir comprar mais pastas de açúcar, tem de comprar um cortador especial porque o bolo que a Andreia pediu assim o exige, caixas, velas, pratos, deixa lá 45€ (nem vos passa o custo destes materiais).
Lá faz mais 3 bolos. Dorme 3 horas da noite de sexta feira para sábado e mais uma da noite de sábado para domingo. Só para fazer o boneco para a filha da Catarina demorou 1,30h! Na segunda feira está de rastos....

Invariavelmente ao fim de 6 meses irá sempre, mas SEMPRE acontecer isto: ou desiste ou apercebe-se claramente que não está a valorizar o seu próprio trabalho.

 

- A Sónia* está desempregada. Precisa a todo o custo fazer dinheiro! Vê uns bolos na net e acha que consegue fazer igual (algumas "Sónias" chegam a colocar fotos de outros trabalhos e chamam-lhes "maquetes" para que os clientes escolham os modelos que pretendem)
Os clientes pedem os bolos à Sónia porque ela leva muito mas MUITO mais barato do que algumas emproadas que andam por aí. E a Sónia faz.
Tudo às 3 pancadas mas faz. A Sónia congela os bolos para ter alguns de reserva, não tem cuidados nenhuns de higienização, não tem tempo para isso! Tem 10 bolos para fazer num fim de semana e isso é que importa! E o cliente não fica completamente feliz (o bolo nem é semelhante ao que pediu, tem rachaduras por todo o lado, a massa estava seca e ligeiramente queimada) mas anda lá perto. Foi tão barato!! Também não se pode exigir muito, certo? Certo.

 

- A Susana começou a fazer bolos por brincadeira, passou pela fase da Ana, de cobrar pouco, quando a experiência era quase nenhuma. Foi evoluindo. Foi acima de tudo chegando à conclusão que ela própria é que tinha de valorizar o seu trabalho. Acabou com a história de bolos cobrados ao Kg quando alguém lhe pediu para colocar 10 meninos modelados em pasta de açúcar em cima de um bolo com 2 kg. Achou um pouco injusto cobrar o mesmo que à pessoa que lhe pediu apenas 1 laço (sou só eu que vejo sentido nisto?).
Hoje em dia a Susana cobra conforme o que lhe pedem. Mais trabalho, mais caro, óbvio!

 

Aquilo que também continua a fazer-me confusão é esta coisa dos portugueses não poderem mas quererem!

"ai e tal....quero uma coisa muito especial mas não posso gastar muito". Não sei se já repararam mas em qualquer menu, nem que seja o "Menu batatas fritas especial", qual deles é? O mais barato?

"Não patrocino festas de ninguém", foi a frase que li aqui há tempos, dita por alguém da área, à qual tenho de dar 100% de razão, pois aquilo a que tenho vindo a aperceber-me é que uma quantidade substancial de pessoas continua a querer ter um bolo deslumbrante na festa de anos do seu filho (porque quando vai às festas dos outros também têm) mas não querem pagar muito. "Ele gosta muito do Mickey, da Minnie, do Faísca, de andebol, de natação, de comandos de televisão e da cor amarelo ovo, pode incluir tudo no bolo??.....mas olhe.....não posso gastar muito...."

 

 

Poderei estar a parecer arrogante com todo este discurso, mas acreditem que é o resultado de cansaço, muito. Tenho perfeita noção que tenho pessoas à minha volta que valorizam imenso o que faço, que tenho clientes que voltam mais do que uma vez, que não colocam os preços em causa. Mas o que tenho vindo a assistir nos últimos tempos é de bradar aos céus....

 

Falando ainda mais claramente, este bolo da foto teve um custo de 25€. É um tipo de bolo, sem muito para pensar, pesquisar, modelar, com o tema "Guloseimas". E este será o custo mínimo que poderei cobrar por um bolo.

 

 

 

Como será fácil de perceber, nunca poderei cobrar o mesmo por um trabalho mais personalizado. Onde entram pormenores como "o meu pai tem cabelo branco e óculos", "costuma estar sentado num sofá cor de vinho a olhar para a tv", " a minha filha gosta de um bonequinho que tem desde que nasceu, já lhe envio fotos" etc...etc....

 

Repito: sou só eu que vejo sentido nisto?

 

 

 

* Nomes fictícios

Autoria e outros dados (tags, etc)


6 comentários

Imagem de perfil

De MissangaAzul a 04.12.2012 às 14:52

Não, não é só a ti que faz sentido, antes pelo contrário, concordo plenamente com tudo o que escreves!
Eu já fui uma "Ana", que gosta muito de cozinhar (principalmente bolos), que foi tirar um curso de decoração de bolos e que por brincadeira fez o bolo de aniversário para uma sobrinha. Toda a gente adorou, e embalada pelo "fazes coisas tão giras, porque é que não fazes para fora?", decidi criar um blog e comecei a aceitar encomendas. E o que começou por ser giro e divertido e até ganhava uns trocos, rapidamente se transformou num pesadelo de noites sem dormir e stressada e preocupada porque só via bolos à frente. E claro que depois de estar 3h horas a modelar uma boneca que ninguém dá o verdadeiro valor, muito menos monetário, e receber as encomendas mais "doidas" (quero um bolo de 3 andares com 20 bonecos mas só pode pesar 2kg que eu nao tenho dinheiro para pagar mais!), decidi que para mim já chegava e não aceitei mais encomendas. Ainda faço algumas coisas para alguns amigos e familiares, mas algo muito pontual. Acima de tudo desisti porque sim dá muitoooo trabalho e eu gosto de fazer trabalhos bem feitos e embora fizesse os bolos em casa na minha cozinha, segui sempre ao máximo as regras minimas de higiene e qualidade: fazia os bolos no dia anterior, decorava na durante a notie, testei receitas, recheios, coberturas, etc. Nunca congelei, nunca comprei bolos já feitos, nunca utilizei massas pré feitas. É para ser bolo caseiro, é bolo caseiro!
E acima de tudo desisti porque acho que há pessoas muito talentosas no mercado (como tu!), que fazem dos bolos a sua profissão e que merecem todo o meu respeito e admiração (como tu!, e eu a aceitar encomendas de bolos estaria a retirar-lhes mérito e trabalho, por isso optei por "fechar a loja".

Portanto concordo com o que tu dizes e repeito o que fazes, portanto, não estás só!

:)
Imagem de perfil

De Gaja a 07.12.2012 às 11:16

Missanga, muito obrigada pelo teu comentário! :)
Acho que vem confirmar um pouco aquilo que tem vindo a acontecer. Pessoas que começam como tu, que preferem percorrer o caminho mais longo fazendo trabalhos de qualidade acabam mais cedo ou mais tarde por desistir, por isso mesmo que falas. É uma actividade que exige muitas horas de trabalho, muita concentração e acima de tudo muita dedicação. Conciliar com outro trabalho é muito complicado. Been there, done that.

Em relação ao "outro estilo de cakedesigners" é o que se sabe. De vez em quando dou uma espreitadela a fóruns e continua a fazer-me uma confusão desgraçada a história de tanta gente congelar bolos para mais tarde decorar! Como se o congelamento parasse o processo de degradação!
Tal como tu (e por isso às vezes ando atolada de trabalho num só dia) também os faço no dia anterior e com o maior dos cuidados. Costumo dizer que se não está bom para mim e para a minha família não está bom para mais ninguém.

Mais uma vez obrigada pelas tuas palavras de apoio. Souberam muito bem. Ohhhh se souberam! :)

Beijinhos grandes!
Sem imagem de perfil

De Vespinha a 04.12.2012 às 23:55

Concordo imenso contigo. Não é por vivermos tempos difíceis que devemos deixar que o nosso trabalho se desvalorize... porque se o deixamos é que será mesmo desvalorizado, e para sempre.
Imagem de perfil

De Gaja a 07.12.2012 às 11:20

Nem mais Rita! Até porque não nos podemos esquecer que os tempos difíceis estão aí para todos.
Tenho tido surpresas incríveis nos últimos tempos com aumentos brutais dos valores da farinha, açúcar e materiais diversos para esta área!

Beijinhos!
Sem imagem de perfil

De Me a 05.12.2012 às 13:32

Olá, já sigo este blog há muito tempo, mas nunca comentei porque... não sei, gosto de ler. Mas queria só dizer que pagava 25€ pelo bolo da foto sem pensar duas vezes, pode ser o mais simples que tem mas está 5 estrelas. O trabalho paga-se e as pessoas ou querem ou não querem, é mesmo assim, a vida está dificil para todos.
Estou gravida de gémeas neste momento e no 1º aniversário delas estou a pensar encomendar-lhe um bolo especial :)
Parabéns pelo blog e pelo seu trabalho.
Imagem de perfil

De Gaja a 07.12.2012 às 11:22

Me, muito obrigada :)

Grávida de gémeas? Que coisa mágica!!!!! :)))
Tenho 2 amigas grávidas neste momento e ando em modo bébés! Adooooro!

Que corra tudo bem com essa princesas e no 1º aniversário delas cá estarei se precisarem de mim! Seria uma honra! :)

Beijinhos às 3 !

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor