Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]


25
Dez07

...trabalhei.

Mas ao contrário do que se possa pensar, foi bastante gratificante.

No final das contas, as pessoas com quem trabalhamos diariamente, acabam por ser um pouco a nossa família também.

Para quem disse, como eu, que este ano não ia fazer nem um frito tradicional de Natal, como já vem sendo hábito há alguns anos, acabei por fazer uma catrefada de Sonhos para aquela malta toda. E se estavam bons, caramba!.....Pelo menos, foi a opinião geral.

E é daqui que tiro prazer em cozinhar para os outros.

O dia passou-se entre conversas à volta do fogão e Sonhos roubados com um "Hummmm..." à mistura....

Acompanhei o jantar dos meus velhotes. Não eram muitos. Alguns foram passar a noite com a família. Os que ficaram, foram os esquecidos ou aqueles que pura e simplesmente já não têm ninguém. Não é uma visão agradável é certo, mas muitos deles nem se apercebem que é Natal, portanto, nada de dramas.

Apenas uma, me deixou preocupada. A minha Rainha. Estava muito calada, estranhamente calada. Mas talvez fosse apenas sono...

 

Vim para casa, para aí sim, jantar com a minha família. Brindes com vinho verde, troca de prendas e o resto do serão a jogar ao Monopoly com o meu irmão. Ainda não foi desta que ganhei aquele c%&#$%. Declarei falência e fui dormir.

 

Este ano, nesta época natalícia, três coisas me comoveram: O dia de ontem, uma mensagem que recebi no telemóvel e esta versão do "Amazing Grace" feita pelo David Fonseca...

Aqui fica para ouvirem....

 

Feliz Natal a todos

Bj da Gaja

 

 

 

 

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


6 comentários

Sem imagem de perfil

De sara a 25.12.2007 às 14:20

A nossa rainha, esta manhã estava toda bem disposta, ate a canção do burrinho ganhou um toquezinho natalício, ia toda bonita, vestida por mim e pela Marisa, vestidinho azul, com o casaquinho a condizer, bem bonita que ia para o passeio, precisavas de ver....
Mas aquele casaco novo, não o estava a achar muita piada, pois está acostumada ao seu casacão de malha,mas a gente lá lhe conseguimos dar a volta. Por breves momentos sentia se mesmo o ambiente natalício dentro do nosso lar, entre os nossos residentes esta manhã... beijinhos da amiga
Sem imagem de perfil

De izzyta a 25.12.2007 às 21:43

São aqueles pequenos gestos vindos directamente do coração que têm capacidade de não deixar pedra sobre pedra. Eu gosto mais de ouvir o Amazing Grace numa voz femenina ou então numa versão instrumental, tipo gaita de foles como se vê nos filmes. Espero que o Jesus Menino tenha sido generoso contigo e com os teus entes queridos. beijos )
Sem imagem de perfil

De Zaka a 25.12.2007 às 21:48

Pois é;
Este meu natal foi passado com a minha sogra de 71 anos e a minha avó de 86, para além de obviamente o meu gajo! A modos que foi tudo a pensar nelas, o que se bebeu, o que se comeu, enfim! E sabes... senti-me muito bem por vê-las satisfeitas, a conversar uma com a outra e a ajudarem-se mutuamente.
Às vezes fazer algo pelos outros pode ser mesmo gratificante... se calhar... é por ser... natal!

Beijocas
Sem imagem de perfil

De Dri a 26.12.2007 às 00:16

O meu natal foi com a familia. mas o auge foi ver os meus avos a cantarem karaoke.é bom apreciar a felicidade de todos.

dri
www.mundoutopicodari.blogspot.com
Imagem de perfil

De amulherdetrintaanos a 27.12.2007 às 13:15

É tranquilizante a forma como te dedicas ao teu trabalho. Quando lidamos com pessoas e afectos as tarefas não podem (ou não deviam) ser realizadas de forma mecânica. A tua postura perante os "teus" velhotes deve reflectir-se muito na forma como encaram essa fase da vida. Isto porque numa inevitabilidade do destino tenho um familiar próximo num lar. Não havia solução. A Alzheimer e a subida da esperança média de vida em geral não se comprazem com o facto de toda a família ainda trabalhar e estarmos longe uns dos outros. Assim escolhemos um lar próximo da sua residência onde a esposa (já muito velhinha e ainda autónoma) o poderia visitar todos os dias e a família, ao fim de semana. Apesar de ter cada vez menos momentos lúcidos dizem-nos que as visitas frequentes, dos antigos vizinhos, família e a esposa, lhe fazem muito bem. Custa-me muito esta situação principalmente pela ansiedade de ficarmos muito bem sem saber o que passa qunado "as portas se fecham"; se são atenciosos, pacientes, afectuosos... ou não. Parece estar tudo a correr bem. Veio passar o Natal a casa. Estava muito feliz: quis dormir com as prendas (porque as podíamos roubar, como nos disse); tivemos de lhe dar comida à boca; colocar babete; levá-lo ao colo para a cama... Faz-me pensar em como envelhecermos; como parece que voltamos à infãncia novamente, como ficamos tão dependentes e tão frágeis. Isto tudo para dizer que há trabalhos que fazem a diferença porque podem mudar a vida das pessoas. O teu é um deles. Bjs e boas entradas.
Imagem de perfil

De ladybug a 28.12.2007 às 23:27

E não são dias destes que fazem o Natal ter algum sentido? :) Beijoca,

Joana

Comentar post



Mais sobre mim

foto do autor