Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]


19
Mai08

Balanço

por Gaja

Está quase. Faltam apenas uns dias para essa data. Mas apeteceu-me escrever sobre isto hoje. Aproveitar este bocadinho de tempo que tenho hoje. Porque não sei se nesse dia o irei ter.

Apetece-me hoje, escrever sobre este assunto. Talvez seja uma forma de o dar por encerrado ou talvez não. Dificilmente os assuntos da vida se encerram mas pelo menos chegamos a determinadas alturas em que os podemos arrumar, direitinhos e sem vincos.

Está quase. Faltam alguns dias para esse dia. O dia em que irá fazer 7 meses que me separei.

Poderia assinalar este dia ao fim de um ano, como mandam as normas. Mas não. Seria demasiado tarde. O número 7 tem uma tendência repetitiva para me acompanhar e interpreto-o quase sempre como um sinal. Neste caso não poderia ser diferente e está na hora de fazer um balanço.

Todas as relações começam e muitas relações acabam. A minha não acabou da melhor forma. Erros graves de parte a parte iam dando cabo daquilo que no fundo tinha ficado.

É estranho vermo-nos ao fim de alguns anos sem a nossa outra "metade". Sentimo-nos perdidos, desorientados, confusos. Tentamos reconciliações atrás de reconciliações a achar que desta é que é. Sentimos falta do cheiro, da pele, da voz, de rir das mesmas coisas. Sentimos a falta de nos ver juntos e não separados. Sentimos que nada faz sentido sem tudo isso e é tudo isso que nos confunde e que nos faz recuar quando a ideia era avançar. E é tudo isso que nos prende a essa pessoa. Isso e apenas isso. Quanto ao resto? O resto não irá mudar. Já houve tempo para isso e não mudou.

Hoje em dia dou-me por feliz, pois nenhuma tentativa de reconciliação deu resultado. E sei que ele também.

Em 7 meses tive ganhos extraordinários. O tempo tem sido o maior deles. Tempo para mim. Fiz as malas a dada altura e tenho andado numa viagem incansável à procura de mim mesma. Tenho-me encontrado por aqui e ali. Também acontece perder-me. Mas estranhamente cheguei a esta fase sem medo de continuar a percorrer o caminho, mesmo perdida, mesmo sozinha.

 

No outro dia estive com ele. Fomos tomar café. E rimos e contei-lhe os meus planos e contou-me as novidades e falámos sério e estávamos à rasca para fumar dentro daquela pastelaria e ainda rimos e fiz as pazes com ele e fiz as pazes comigo mesma.

Porque no fundo aquilo que ficou é isto.

 

Alguém me perguntou como é que eu pude ter ido encontrar-me com ele.

Eu sei porquê. E isso basta-me.

 

L.? Vá....tu não tocas mal guitarra. E só te digo isto agora porque já não tenho que te aturar a tocar a toda a hora....ufff ;)

E nesta até nem ficávamos nada mal pois não?

 

Rolling Stones

Wild Horses

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


15 comentários

Imagem de perfil

De Teia d´Aranha a 19.05.2008 às 01:45

Todos nós, ao longo da vida, vamos passando por separações de diversa ordem. Quando se trata de nos separarmos de alguém, essa separação pode ser um alívio ou causa dor... Já passei pelas duas. A primeira supera-se facilmente, mas a segunda pode durar meses ou anos... Causa dor... dor porque sabemos que essa separação é inevitável, porque para "dançar um tango são prescisos dois"... Mas essa inevitabilidade não evita que a ausência do outro nos consuma... A voz, o toque, o riso, o olhar, que eram tão presentes, desaparecem abruptamente e dão lugar ao vazio. E depois, embora ausente, há sempre uma frase, uma expressão, uma música que nos traz tudo de volta por muito que lutemos contra isso.
Deve ser muito bom conseguir ultrapassar a tua separação como o fizeste e ver que agora está tudo "no devido lugar"...

Texto excelente... como sempre!

Beijo, Gaja
Imagem de perfil

De lana no mundo a 19.05.2008 às 08:50

O outro dia , estive a ler o teu blog, adorei ... tambem porque me identifico com algumas situações ... olha minha querida ... eu tambem passei por uma separação , está quase a fazer um ano .... se te der algum animo Le um pouco do meu blog .... tive mudanças radicais ...passei de um estado de depressão imenssa a um estado de serenidade, e estabilidade emocional como nunca tinha tido ...
Acredito que se passamos pelas coisas é porque tinhamos mesmo de passar .... é como que um amadurecimento ....
Um beijo enorme e força
xxxxx
Sem imagem de perfil

De mother_24 a 19.05.2008 às 11:59

Ao menos não te deu pra desancares no mocito, menos mal... isso mostra que ficas-te madura com este teu episódio menos bom da tua vidinha de gaja :)

E se te apeteceu ir ter com ele, melhor, é porque vocês ao menos separados entendem-se e isso é bom

jocas gaja
Sem imagem de perfil

De Ka a 19.05.2008 às 15:32

Compreendo-te bem. Também está quase a fazer 7 meses que "perdi" a minha alma gémea. Penso que me encontro +/- no mesmo processo que tu, embora tu estejas bem mais à frente nesse caminho de apaziguamento de alma.

Abraço.
Sem imagem de perfil

De essenciasdepensamentos a 19.05.2008 às 16:26

Só amei uma pessoa até hoje, estou separada dessa pessoa há muito tempo e ainda hoje é difícil, mas consegue-se superar. agora vem a dor, mas, o pior não é a dor mas sim a mágoa que se instala em nós e que é tão complicado expulsá-la , mas consegui e tenho a certeza que também conseguirás. Foi bonito teres ido ao seu encontro, há que vencer as diferenças e lembrar só o bom que essa pessoa nos deu, e na memória só fica aquilo que tu acreditas que vale a pena. boa sorte para a tua nova vida e sabes que mais não é de todo muito mal ser solteira, tem tantas vantagens.
Sem imagem de perfil

De jabeiteslp a 19.05.2008 às 21:38


um passo
entre outros tantos
nos porquês sem resposta
ninharias descuidadas
ou mágoas magoadas

e vem à memória
" este é o primeiro dia
do resto da tua vida "
razões sentidas
e sempre esquecidas

morra-se o tempo
por um momento


dos calhaus e fragas da Serra
54 beijofas


Sem imagem de perfil

De Ana a 19.05.2008 às 22:18

Não posso dizer que sei que passas-te mas posso sim dizer-te, que fico feliz que tenhas encontrado Paz.

Beijinhos*
Imagem de perfil

De ladybug a 20.05.2008 às 02:16

E no fundo... é só isso que interessa porque és tu que tens que viver com o que fazes e com o que... deixas por fazer... Beijinho grande
Sem imagem de perfil

De Xeringador a 20.05.2008 às 20:47

Olá gaja,
Lembra-te que há dois tipos de ligações amorosas: As que acabam em bem e as que, rais parta, nunca mais acabam.
Ainda bem que a tua é do 1º tipo. Deixa para lá, parte para outra e não fiques a contar os dias, os meses...
Imagem de perfil

De * * Grilinha * * a 20.05.2008 às 22:13

Ainda um dia ganho coragem para contar a reviravolta que estava para dar á minha vida há 10 anos.

Foi a vida que me deu a volta a mim e ao que tinha programado.

Ao fim de 18 anos de casamento e muitos separa/não separa a decisão estava tomada. Naquele dia teriamos a conversa final sobre o assunto e os miudos estariam presentes para ser informados.

Ás 2 da tarde uma forte cólica leva-me ao hospital donde saí ao fim de 6 meses e a separação e a conversa com os miudos ficou adiada.

Ao longo do internamento pedi-lhe que seguisse a vida como tinhamos programado e que eu estava a ser tratada.

Recusou-se a abandonar-me naquela hora, naqueles, naqueles meses.

Quando voltei a casa começei a aprender a viver com a incapacidade que tinha.

O casamento renovou-se e hoje considero que estou casada pela 2ª vez, só que com o mesmo homem.

os filhos já estão adultos e autonomos mas ainda hoje acham estranho o comportamento e apoio que o pai lhes dá de há 10 anos para cá.

Alguns pormenores podes encontrar espalhados pelo meu blog.

Fizeste bem ter ído ao encontro.

É optimo sentireste bem contigo mesma e com alguém que foi importante na tua vida.

Um beijinho

Comentar post


Pág. 1/2



Mais sobre mim

foto do autor