Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]


28
Fev08

Palco

por Gaja

Estava escuro e ao fundo ouviam-se vozes. Encontrei a tua no meio de tantas e espreitei para ter a certeza.

Deixei-me estar...

Só a olhar para ti sem me poderes ver. Queria saber como te movias, os teus tiques, o teu gesticular, o teu sorriso e as tuas gargalhadas. Sem me poderes ver.

Deixei-me estar...

Ficaste calado. Fiquei a admirar os teus olhos postos num qualquer papel, absorto num qualquer pensamento. Talvez nas letras que estavam na tua frente, talvez noutra coisa...

Ouviu-se o arrastar lento de cadeiras. Pessoas começaram a sair. Passaram por mim enquanto me encolhia. Mas ninguém me perguntou nada. Era como se já soubessem.

Deixei-me estar...

Continuavas no mesmo sítio. Já não olhavas para o papel. Tinhas as mãos no queixo e os olhos postos num sítio longínquo onde guardavas os teus sonhos.

Entrei.

Ouviste os meus passos e olhaste para mim. Fiz-te o mesmo.

Continuei a caminhar, passei por ti e dirigi-me para perto do palco. Não se ouviu uma palavra na peça dessa noite. Não era preciso.

Senti apenas os teus braços a envolver-me, num segredo há muito esperado.

Deixei-me estar...

Agora contigo...e sempre...

 

 

 

(não....não ando a fumar coisas estranhas....continua a ser tabaco)

 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



Mais sobre mim

foto do autor