Saltar para: Post [1], Comentar [2], Pesquisa e Arquivos [3]


06
Mar14

O meu pai é do tempo em que se fechava na cozinha a mexer uns ovos, tesouro naquela altura, para ele e para o irmão. A irmã ficava do lado de fora a implorar para entrar ao que ele lhe respondia "Estás muito gorda!"
O meu pai é do tempo em que aos 6 anos ia a pé para Carcavelos espreitar por debaixo dos toldos das barracas da praia e roubava bananas dos ricos que tinham ido a banhos.
O meu pai e os irmãos ficavam à espera do autocarro que lhes trazia uma familiar com carcaças para eles, as quais comiam assim, mesmo a seco.

Hoje em dia escrevem-se livros sobre alimentação infantil, dão-se dicas, conselhos, ensinam-se formas mais apelativas para que os petizes comam a sopa toda, o peixe todo. É um drama alimentar crianças, é um horror, é um martírio.

E eu pergunto-me inúmeras vezes, se a escassez, a necessidade e até a fome não resolveriam esses problemas em 3 tempos.

 

Autoria e outros dados (tags, etc)


Comentar:

Mais

Se preenchido, o e-mail é usado apenas para notificação de respostas.



Mais sobre mim

foto do autor